Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Blog

EPIs e a Pandemia

20/04/2020

Estamos vivenciando um período de muito medo, cuidado e principalmente incerteza. A pandemia mundial que vem devastando continentes  tem se mostrado veloz e mortal, como há séculos esse planeta não via. 
O novo Coronavírus se tornou o inimigo "invisível" #1 do momento e tem feito a humanidade rever coisas simples, que deveriam ser rotineiras e cotidianas, mas que passam batidas, seja por falta de cultura ou por falta de incentivo, principalmente aqui no Brasil.


Mas, se você pensa que esse vírus é novo, está enganado! Na década de 1960, houve a identificação dos primeiros coronavírus humanos. Alguns coronavírus causam a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), detectado em 2002 e 2012, respectivamente. E agora um novo coronavírus foi descoberto, em dezembro de 2019, na China.
No entanto, a situação se agravou muito e se alastrou globalmente de forma agressiva e incontrolada, afetando a vida e rotina de bilhões de pessoas. Atualmente EPIs se tornaram de uso frequente e, em alguns locais, obrigatórios para civis, principalmente máscaras e luvas. O que antes era de praxe para empresas e profissionais da saúde, passou a ser indispensável para a população em geral.
A situação é tão caótica que A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um informe onde recomenda que profissionais da saúde, expostos a pacientes suspeitos de contaminação pelo Coronavírus, utilizem respirador do tipo N95 (com certificação NIOSH), PFF2 (com certificação europeia) ou equivalente, para se proteger.


Bem, visto que o assunto é importante e buscando ajudar na conscientização de todos, hoje falaremos sobre o coronavírus e os EPIs indicados para se previnir:

 

Como se dá a transmissão do coronavírus (COVID19)?

 

Pois bem, muito semelhante a gripe ou um simples resfriado, seja em sintomas e meios de contaminação, a contaminação do coronavírus pode se dar por contato físico entre pessoas pelo ar ou por contato pessoal através de secreções contaminadas, como espirro, catarro, gotículas de saliva etc. Além disso, épocas mais frias contribuem para a proliferação do vírus, assim como uma gripe comum, pois tendemos a estar em ambientes fechados, com pouca circulação de ar natural, sucetíveis à contato com pessoas contaminadas.
Mas, os sintomas não são imediatos, o que permite que pessoas infectadas contaminem outras, sem saber, claro! A incubação do vírus pode ser de duas semanas, ou seja, esse é o tempo em que os primeiros sintomas podem surgir desde o momento do contágio.

E quais os sintomas do coronavírus?
Como citado anteriormente ss sintomas clínicos do coronavírus são semelhantes ao de gripe ou resfriado, afetando as vias respiratórias. Além disso, causa infecção como a pneumonia. Alguns outros sintomas são a febre, tosse e dificuldade para respirar.

 

 

Como podemos nos prevenir?

 

Assim como nos cuidamos para evitar gripes e resfriados, devemos tomar alguns cuidados extras contra o coronavírus. Aqui no Brasil, o Ministério da Saúde passa algumas orientações:

  • lavar as mãos com frequência;
  • usar lenço descartável para higienizar as narinas;
  • cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais enfermos em fazendas ou criações;
  • Manter distância de outras pessoas aprox. 1,5m;
  • Evitar aglomerações, principalmente em locais fechados;
  • Sair na rua somente se for essencial, usando máscara;
  • Evitar contato com pessoas idosas ou do grupo de risco;
  • E procurar uma unidade de saúde se sentir algum dos sintomas característicos da doença.


Quais EPIs devo usar?

Para a população é recomendado que cada um busque sua maneira de se prevenir, principalmente com máscaras de tecido (apesar de alguns alegaram sua ineficácia). Isso se faz necessário pois a escassez de EPIs, principalmente máscaras, aconteceu de forma espantosa, obrigando milhares de brasileiros a recorrerem aos materiais caseiros.
A própria OMS alertou para a falta de EPIs, inclusive par aprofissionais da saúde. Inclusive montou uma força tarefa para garantir o fornecimento à todos que exercem papel essencial na linha de frente ao combate do COVID19.
Já os profissionais da área de saúde devem adotar medidas de precaução padrão como usar máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção. Em caso de realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, o Ministério da Saúde indica o uso de máscara N95/PFF2.

 

O que podemos tirar de tudo isso, até o momento, é que devemos mudar nossos hábitos de higiene e proteção para estarmos sempre preparados, caso isso volte a acontecer.
E, pra finalizar, não podemos esquecer do mais nosso companheiro de todos: o álcool gel. Faça uso sem moderação.


Nos vemos em breve, até mais pessoal!

Voltar